Mensagem

Publicado há 1 mês

Melancolia

Apesar da luta do cotidiano dos encarnados da Terra ser árdua e constante, incontáveis dos filhos de Deus vivem invariavelmente combalidos.

Inumeráveis são os encarnados que não conseguem sobressair. Tentam incontáveis vezes alcançarem teus objetivos, mas não passam do ponto limite em que se encontram.

Não raro se permitem ser vitimados por depressão mórbida e muitos chegam a dar fim à vida carnal.

A média de suicídio no teu país é de quarenta por dia. Infelizmente os jovens e adolescentes têm alcançado um maior número nesta escala infausta.

Há algumas décadas atrás Deus se fazia presente nas escolas e principalmente nos lares. As crianças aprendiam orar, os pais se dedicavam na educação dos filhos impondo-lhes moral e fé. Os limites, o trabalho ainda na juventude davam a cada um a devida responsabilidade e um número considerável se tornavam homens de bem.

As mães dedicavam atentamente na educação e nos quefazeres domésticos dando instrução e companheirismo.

Compreendemos a necessária evolução do mundo e da informática, no entanto os filhos do presente sentem-se só e distantes do verdadeiro carinho que somente os pais podem oferecer.

A falta de Deus nos encarnados da Terra permite abrir espaço para nossos irmãos desencarnados menos esclarecidos, sendo que estes sucumbiram com os deveres da fé, do otimismo e não raro do trabalho.     

A ausência da fé e a falta da ocupação do cérebro, tem levado muitos ao suicídio, causando um grande atraso na grande e necessária ascensão.

Os brinquedos e jogos virtuais que teriam de proporcionar educação, ensinam a matar, a atropelar e outros requisitos que sem dúvida invadem a mente dos jovens tendo como resultado a solidão e a melancolia que não raro os leva ao suicídio.

Os pais deveriam ficar mais atentos, impondo limites aos filhos, observando ou acompanhando o desenvolvimento deles para que um dia não venham sofrer com a amarga e inesperada separação causada pela morte prematura.

Os adultos se envolveram de tal forma com os meios de comunicação que deixam os filhos a mercê dos referidos jogos, e deixam eles mesmos de cumprirem com os seus deveres, que não raro têm causado divórcio.

Toda evolução é necessária e inevitável, no entanto o limite será sempre imprescindível para manter a dignidade no lar e trazer de volta Deus para o interior doméstico.

Se tu tens extrapolado, repense e esforçe para que não te arrependas um dia quando deparares com o autojulgamento, e para não te retardares na longa jornada rumo a evolução.


Pelo espírito Bezerra de Menezes
psicografado pelo médium José Alves de Sousa


Temas relacionados: Deus família informática

Gostaria de receber as mensagens?

Se inscreva, e receba sempre uma nova mensagem no seu email.