Mensagem

Publicado há 3 meses

Olho por olho, dente por dente

“Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo. Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus;” (Mateus, Cap. V vv.43 e 44)

A lei de talião foi necessária nos tempos antigos devido a dureza dos corações daquele povo.

O tempo passou, veio Jesus pedindo a abolição da vingança, mas até o presente momento muitos dos filhos de Deus a praticam.

Inconscientes, perpetram os mesmos delitos na intenção de se vingarem e dizem que estão fazendo justiça, para que teu próximo experimente a mesma dor que sentiu.

Saibam que a lei de causa e efeito é infalível, mas fazer justiça com as próprias mãos é transgressão.

Se assim pensam ou fazem, tenham certeza de que estão infringindo as Leis Morais, ou a Lei do Amor como Jesus ensinou.

Está escrito: “Não julgueis, para que não sejais julgados. Porque com o juízo com que julgardes sereis julgados, e com a medida com que tiverdes medido vos hão de medir a vós.” (Mateus, Cap. VII vv.1 e 2)

Raciocine um tanto mais e procura observar que as injustiças que hoje vivencias ocorrem porque tu estás extinguindo na mesma moeda as faltas cometidas no passado. Os versículos acima deixam claro que somente as Leis Morais devem reparar as faltas de teus antagonistas.

Procura perdoar para que tenha o perdão de Deus, ou da tua própria consciência. Não seja instrumento do maligno, ou o causador da dor alheia para que um dia no futuro venha perecer ou saldar na mesma moeda o que causaste a teu próximo.

Teu planeta somente encontrará paz, ou entrará no plano de regeneração, quando tu regenerares, perdoando sempre e compreendendo que não cabe a ti fazer justiça. Procura abolir de tua vida a lei de talião para que um dia se liberte por completo das amarras das expiações e provações.


Pelo espírito Dr. Neto
psicografado pelo médium José Alves de Sousa


Temas relacionados: julgamento perdão

Gostaria de receber as mensagens?

Se inscreva, e receba sempre uma nova mensagem no seu email.